POEMAS

  BORBOLETAS E COLIBRIS
      A Síndrome do Amor
                                 Autor: Lucarocas

A saga de um grande amor
Que reverbera a paixão
Faz uma transformação
Traz lume de esplendor
E a vida em seu fulgor
Traz energia ao  casal
Que em exercício carnal
Nos olhos trazem mais brilhos
Pois o desejo de filhos
E busca nesse ideal.

O sonho paternidade
Burila um sentimento
E a vida no momento
É plena felicidade
A voz da maternidade
Ecoa no coração
A alma faz uma canção
Pra vida que se oferece
E tudo então vira prece
Pro broto da criação.

Semente da natureza
No ventre ela é semeada
Para ali ser germinada
Na mais perfeita beleza
Pois tudo em sua grandeza
Tem a métrica da vida
Os pais na mesma medida
De corpo alma e sorriso
Pro filho ser paraíso
Nessa prole concebida.

Mas no homem há sonhar
Em Deus realização
E Deus só nos dá lição
No caminho a caminhar
E assim foi transformar
Com seu poder celestino
Dando vida a um menino
Num rito celestial
Para que esse casal
Cumprisse agora um destino.

E o destino traçado
Para o casal e a criança
Era um mundo de esperança
De ver tudo transformado
E fazer seu filho amado
Mesmo sendo diferente
Vendo o fruto da semente
Como presente de Deus
E em todos os dias seus
Viver feliz e contente.

Deus então por sua vez
Mexeu em um cromossomo
E o vinte e um ficou como
Ao invés de par ficou três
E foi assim que Deus fez
Nascer com Down o rebento
Criando ali no momento
Um ser de grande esplendor
Pra ser motivo de amor
De vida e merecimento.

Quando a criança nascida
Com os pais não parecia
A vida que ali nascia
Não era nem parecida
Com o projeto de vida
Com a semente plantada
Do casal não tinha nada
Dos traços dos corpos seus
Mas era a imagem de Deus
Na terra em nova morada.

Mas quando aquele menino
Se fez vida em seu chorar
Uma lágrima no olhar
Mudou visão do destino
E os céus cantando hino
Deu pra terra mais valor
Se fez canção de louvor
E de agradecimento
Pois o fruto do momento
Tinha a síndrome do amor.

E hoje há borboletas
Num universo de luz
Há colibris que reluz
Em rosas e violetas
Anjos tocando trombetas
Pra Down a todo segundo
Semente de amor fecundo
Que na terra germinou
E tudo então transformou
No modo de ver o mundo.

Portanto ao observar
Um Down em sua silueta
Veja ali uma borboleta
Muito feliz a voar
Se um colibri encontrar
Voando com liberdade
Veja um Down felicidade
Brilhando com os jeitos seus
Pois Down são anjos de Deus
Ensinando a humanidade.

Fortaleza, 22 de Março de 2018.

Texto em homenagem ao Dia Internacional da Síndrome de Down 
ocorrido no dia 21 de março.



 A MORTE QUE MATA A VIDA
MAS NÃO MATA A ESPERANÇA.
                             Autor: Lucarocas

No sumo da vida morte
Não há quem se acostume
Pois a morte tem ciúme
De quem desdenha da sorte
E se um ser é tão forte
Pensa então que é eterno
E só ver o que é externo
Num viver de ilusão
Termina na transição
Seja pro céu ou inferno.

Se mata a vida que luta
Nessa luta desigual
Pra sociedade é o mal
Matando com força bruta
E a nossa gente enluta
De vergonha e de tristeza
Por se ver tanta pobreza
De alma e de coração
Que transforma o cidadão
No ser de grande fraqueza.

Mata-se a quem lutar vive
Mas não matam a esperança
Morte é vida é confiança
Pra quem dela sobrevive
E isso talvez motive
Essa nossa geração
A amar pedir perdão
Lutar na sina da sorte
Pra se ter além da morte
A viva vida nação.

A morte e coisa comum
Seja pra qualquer vivente
E o tempo é o vidente
Da rota de qualquer um
Mesmo que pense algum
Que a vida não se encerra
Viver morrer é uma guerra
Sem vencido ou vencedor
Pois toda partida é dor
Para os que ficam na terra.

Morre o corpo a alma não
Fica a dor de uma saudade
O tempo cura a maldade
Quando se faz o perdão
As fibras do coração
Se iluminam de bonança
No sorriso da criança
Que não sentiu a partida
A morte que mata a vida
Não mata a esperança.

Fortaleza, 18 de Março de 2018. 19:20 h




CULTIVE AMOR,
TRISTEZA NÃO DÁ FLOR
                             Autor: Lucarocas

Não semeei sua tristeza
No curto jardim da vida
Pois a justa natureza
Faz a semente colhida
Pois tudo que é semeado
Um dia é resgatado
Com o seu peso e medida.

Semeei somente o bem
Cultive somente amor
Pois só se dá o que tem
Seja alegria  ou dor
Pois o jardim da existência
Nos mostra a experiência
Que tristeza não dá flor.

Fortaleza, 10 de Maio de 2017.
10:49 horas


 MÃE NO CÉU, VISÃO DE SAUDADE
                           Autor: Lucarocas

A minha mãe que partiu
Pro reino celestial
A alma pra o céu subiu
Para o campo do astral
E foi nessa liberdade
Que o lume da saudade
Lhe fez um ser magistral.

Hoje o prisma da saudade
Ilumina o meu olhar
Que mostra na minha idade
Quando menino a sonhar
Que minha mãe era ninho
E no colo do carinho
Tinha amor a me embalar.

Voltando mais ao passado
No prisma dessa visão
Vi um menino calado
Perdido na escuridão
Mas a mãe com seu abraço
Fazia do escuro espaço
O mais bonito clarão.

Outra vez eu reparei
E no prisma fui notar
Dois seios em que mamei
Uma mãe a amamentar
Nos olhos encanto e brilho
De quem alimenta o filho
Com o leite puro do amar.

Olhando mais ao passado
Vi um pai um bom marido
Que tendo a esposa ao lado
Tinha a Deus agradecido
Por tanto amor que se quer
E ver a sua mulher
Ter um menino parido.

E num olhar mais profundo
Um encontro então se fez
Olhei ali no segundo
No prisma a última vez
E vi uma mulher contente
Por ter no ventre a semente
Naquela sua gravidez.

Minha visão se encerrou
Com uma nova claridade
E lá no céu me mostrou
A força da divindade
Vi minha mãe acenando
E com amor me abençoando
Nessa visão de saudade.


Fortaleza, 09 de Maio de 2017.


SE VOCÊ SOUBESSE
            Autor: Lucarocas

Se você soubesse
Que um dia a prece
Vai virar canção
Você cantaria
E levava o dia
Em plena oração.

Se você soubesse
Que quem lhe aborrece
Só quer atenção
Você lhe diria
Que melhor seria
Semear perdão.

Se você soubesse
Que quem lhe esquece
Já lhe foi paixão
Você sorriria
E dava alegria
Pro seu coração.

Se você soubesse
De quem se entristece
Com a solidão
Você sairia
Para a companhia
Desse seu irmão.

Se você soubesse
Que quem lhe aquece
Lhe traz ilusão
Você viveria
Com a garantia
Da sua razão.

Se você soubesse
Que o juízo esquece
Poder da razão
Você fugiria
E pra longe iria
De qualquer paixão.

Se você soubesse
Que gente padece
De fome em sertão
Você saberia
Dar graças ao dia
Do café com pão.

Se você soubesse
Que o que floresce
É semente ao chão
Você plantaria
Só sabedoria
Em seu coração.

Se você soubesse
Que o mundo esquece
Quem findou missão
Você buscaria
Viver com alegria
Sem ter solidão.

Se você soubesse
Que o melhor da prece
É a reflexão
Você não iria
Rezar só no dia
Da sua transição.

Se você soubesse
Que Deus não esquece
Filho em escuridão
Você lembraria
Que Deus todo dia
É só salvação.

Fortaleza, 09 de Janeiro de 2017.



SEIS OLHARES NA CAMINHADA
                                                 Autor: Lucarocas

Na caminhada da vida
Temos diversos andares
E da chegada à partida
Vamos a vários lugares
Mas para um bom caminhar
É preciso se atentar
Para esses seis olhares.

Primeiro é olhar pra frente
Para saber aonde ir
E planejar consciente
Todo caminho a seguir
Que pra cada passo dado
Não se faça desviado
Do que se quer conseguir.

Depois olhe para trás
Para poder se lembrar
Daquilo que fez e faz
Pro seu caminho trilhar
E não fazer confirmado
Todo erro do passado
No seu novo caminhar.

Agora olhe pra baixo
E prossiga caminhando
Mas não siga cabisbaixa
Para ver se está pisando
Em alguém que no caminho
Tirou da flor o espinho
Para você ir passando.

Depois pode olhar pros lados
Para ver quem lhe ajudou
Veja se alguns legados
No caminho semeou
Se tem alguém precisando
Pra você ir apoiando
A quem também lhe apoiou.

Lance seu olhar pra cima
Para se encontrar com Deus
É Ele quem dá o clima
Pra trilha dos passos seus
Pra seguir na caminhada
E lhe levar à chegada
Com lumes de apogeus.

E por fim olhe pra dentro
Da alma e do coração
E concentre-se bem no centro
De toda a sua emoção
Que você vai encontrar
Muita coisa a melhorar
No caminho da ilusão.

Olhando na caminhada
Verá que cada olhar diz
E a visão decifrada
Lhe apontará diretriz
E todos olhares seus
De certo só verão Deus
E Ele o fará feliz.

Fortaleza, 11 de Julho de 2017.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

CONGRESSO PSICODRAMA Relações Transformadoras                   Autor: Lucarocas A vida quando proclama A divina natureza Va...

Nossas Postagens